31.08.2018 | Notícias

Projetos de Ciência e o desenvolvimento das Funções Executivas

As Funções Executivas podem ser consideradas como um conjunto de habilidades que permitem a regulação dos pensamentos, emoções e ações, desempenham papel fundamental no desenvolvimento do aprendizado e geram grande impacto no comportamento, controle emocional e até mesmo na prosperidade das pessoas.

Práticas como planejamento, organização, gestão do tempo, controle emocional, flexibilidade mental, persistência nas metas e automonitoramento, que fazem parte das funções executivas, são as maiores responsáveis pelo bom desempenho acadêmico, superando até mesmo o aspecto cognitivo. Portanto, é fundamental proporcionar atividades que possibilitem o desenvolvimento dessas habilidades nos adolescentes.

O “Jardim no Pote” foi um projeto elaborado pelas professoras Ana Carolina Sartori e Tábata Rotger para os estudantes da 1ª série do Ensino Médio, esse proporciona o aperfeiçoamento das funções executivas e o aprendizado do conteúdo de Biologia e Química de forma prática, integrada e desafiadora.

Os estudantes foram orientados a planejar e construir um terrário contendo plantas, que deveriam permanecer vivas, pelo menos um mês, dentro de um recipiente lacrado, ou seja, sem entrada de ar.

Para compor o Projeto, cada grupo seguiu os seguintes passos:

  • pesquisar temas de Biologia e de Química relevantes para a execução;
  • planejar a construção do terrário, levando em consideração os aspectos pesquisados;
  • executar e monitorar o Projeto;
  • apresentar os resultados e conclusões;
  • destacar os aspectos positivos e negativos do programa realizado;
  • sugerir alterações e soluções.

Todas as etapas do trabalho foram realizadas na escola, nos Laboratórios de Ciências e de Informática, com orientação das professoras e monitoras dos laboratórios.

Segundo a psicopedagoga Ana Sílvia Figueiral, Coordenadora do Grupo de Estudos de Funções Executivas, “Planejar uma tarefa simples ou complexa recruta diferentes habilidades executivas. Definido o objetivo, organiza-se um planejamento, relacionando e ordenando os procedimentos necessários.

Com as informações mantidas na memória, as ações são monitoradas, avaliadas e modificadas, corrigindo-se a rota direcionada ao objetivo estabelecido. Saber lidar com diferentes possibilidades, de forma construtiva e adaptativa, requer flexibilidade cognitiva.” Essa capacitação é necessária para o êxito em todos os campos da vida, seja pessoal ou profissional.

A área de Ciências da Natureza é um terreno fértil para a promoção dessas capacidades, propostas como o “Jardim no Pote”, dentre várias outras, realizadas desde a Educação Infantil ao Ensino Médio. Motivam os estudantes a desenvolverem esses talentos que favorecem o desempenho acadêmico, serão ainda mais úteis, muito além dos muros da escola, durante toda a vida.

Tábata Rotger

Professora de Química do Consa e Mestre em Ciências