23.03.2017 | Notícias

Palestra Geopolítica

No último dia 7 de março, nós estudantes do Consa fomos agraciados com a palestra do Coronel do exército Fernando Bartholomeu Fernandes, funcionário do Comando Militar do Sudeste – CMSE, também conhecido por ser pai do estudante João Pedro Fernandes.

O mundo de hoje está altamente globalizado, e com isso, as distâncias tem cada vez mais se encurtado, portanto, um dos principais temas da atualidade é a questão das fronteiras dos países e como proceder com elas, no quesito de controle e segurança. Esse foi justamente o tema abordado na palestra de Fernando, com enfoque nas fronteiras brasileiras.

A palestra teve início com uma breve recapitulação da história, a respeito do surgimento do estado, como conhecemos hoje, e como o conceito de fronteiras evoluiu com o tempo e com as inúmeras guerras que já foram travadas por culpa delas.

O decorrer da palestra abordou amplamente o tema: Fronteiras Brasileiras. Começamos com alguns dados estatísticos a seu respeito, por exemplo: o Brasil só não faz fronteira com dois países da América do Sul: Equador e Chile, o que o torna um alvo fácil para a entrada de imigrantes ilegais. Vimos também que a extensão total da fronteira terrestre é de 15.735km e marítima de 7.367km, para efeito de comparação, a fronteira México-Estados Unidos tem 3.141km e, mesmo com o alto policiamento, muitos mexicanos passam facilmente a fronteira.

Outro ponto importante abordado a respeito das fronteiras, foram as atividades ilegais exercidas em suas proximidades. Um dos exemplos citados pelo coronel, é a madeira extraída ilegalmente da Amazônia brasileira que é levada para o Peru e lá regularizada como madeira peruana para ser vendida de volta para o Brasil de forma legal.

O tráfico de armas e drogas é outro problema e não deixou de ser abordado. Nosso país possui atualmente 28 bases militares na fronteira e os pontos mais críticos para a entrada de drogas são as fronteiras centrais e ao norte do Brasil, devido à grande parte da fronteira ser na floresta, fica muito difícil para as autoridades brasileiras fiscalizarem e perseguirem os traficantes.

O lado bom é que o governo federal não está ignorando esse problema, e tem investido para melhorar o seu controle, um bom e recente exemplo é o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras – SISFRON, um programa desenvolvido pelo Exército Brasileiro, de alto nível tecnológico, que pretende fiscalizar a fronteira com 10 países sul-americanos.

A palestra do Coronel foi muito didática e tratou de um tema extremamente importante do nosso cotidiano que muitas vezes ignoramos e que, com certeza, se tornará muito mais importante no futuro, agora que a Europa e os Estados Unidos reveem suas leis de fronteira. Por isso, nós estudantes da terceira série do Consa, somos muito gratos ao senhor Fernando por nos ter cedido o seu tempo e ter nos transmitido um pouco do seu conhecimento em sua palestra.

Gabriel Amorim 3A