06.03.2020 | Ensino Médio

O que esperamos da Globalização, por Milton Santos

Os estudantes da 3ª série do Ensino Médio trabalharam o gênero Charge para representar os conceitos de Globalização apresentados pelo Geógrafo Milton Santos.

Milton Santos apresenta o fenômeno estudado de três formas diferentes:

A GLOBALIZAÇÃO COMO FÁBULA

A fábula de que a difusão de notícias realmente informa as pessoas; de uma economia global que teria a capacidade de dispor de mercadorias para o consumo de todos a baixo custo, quando, na verdade, as diferenças mundiais e locais são aprofundadas. Na verdade, o funcionamento do mundo atual exige o exercício de fabulações através de um processo de ideologização maciça.

A GLOBALIZAÇÃO COMO PERVERSIDADE

A globalização se coloca para a maior parte da população mundial na forma de perversidade, na medida em que temos o desemprego crônico, o aumento da pobreza, a disseminação de novas enfermidades e, inclusive, antigas, que já tinham sido dadas como superadas, a mortalidade infantil se mantém, a educação de qualidade é cada vez mais inacessível para a maioria e o consumo é indicado como a forma mágica da conquista da felicidade e do bem estar.

POR UMA OUTRA GLOBALIZAÇÃO

O grande capital se apoia na unicidade da técnica, na convergência dos momentos e no conhecimento do planeta para construir a globalização perversa. Essas mesmas bases poderão servir a outros objetivos, se forem postas ao serviço de outros fundamentos sociais e políticos. Uma outra globalização poderá superar essa globalização. Se a sociedade a criou também poderá criar as condições para superá-la.

Baseados nessas três interpretações sobre a Nova Ordem Mundial, os estudantes trabalharam em grupo para representar, por meio de uma charge, cada uma das leituras do fenômeno estudado.

Apreciem essas elaborações!

 

Leia também