29.04.2021 | Blog

Nossas dinâmicas para o auxílio da aprendizagem

Bom, que carinho e cuidado permeiam nossas práticas com os estudantes, vocês já sabem. Vamos, então, agora entender um pouco mais sobre a nossa proposta pedagógica?  

Unindo as proposições sócio-interacionistas aos valores franciscanos universais, desenvolvemos o Sistema Educacional Franciscano – SEFRAN. Esse sistema alia a tradição educacional aos princípios de responsabilidade social, de consciência ecológica e de desenvolvimento pessoal, assim como à tecnologia educacional, que serve de suporte ao processo de ensino-aprendizagem. 

Partindo da compreensão de que o educando é um indivíduo único e original, protagonista e sujeito de seu processo de formação, nossa metodologia visa à construção do conhecimento, a partir do desenvolvimento da curiosidade do estudante e do hábito de questionar, o que dissolve a ideia de uma aquisição mecanicista dos saberes. Dessa forma, é possível formar cidadãos “do mundo e no mundo”, conscientes, autônomos, solidários, fraternos.  

Dentro dessa visão de Educação, o cenário atual de pandemia se tornou um verdadeiro desafio, afinal, como dar continuidade aos processos educativos, garantindo que não só os conteúdos sejam oferecidos, mas, também que toda a interação e vivências que o ambiente escolar favorece, continuem sendo proporcionadas? 

Para além de nossas reflexões e estratégias, enquanto educadores, tivemos também que aprimorar nossas habilidades com as ferramentas tecnológicas e, claro, com as exigências das aulas online. 

Metodologia Maker – Ensino Remoto e a Exploração do Lúdico

Sabendo que não podemos deixar que o trabalho lúdico e autoral dos nossos estudantes escape, afinal, eles precisam ser os protagonistas de sua aprendizagem e desenvolvimento, vamos contar um pouquinho do que estamos fazendo para garantir que todos esses pontos continuem ligados. 

Nas aulas de História do 6º ano do Ensino Fundamental, começamos a discutir a expansão territorial Romana na antiguidade. Com as atividades, discussões e construções teóricas, foi importante desenvolver com os estudantes um trabalho prático, de construção de mapas, como faríamos nas aulas presenciais, para que eles absorvessem o conhecimento sobre a importância da dimensão do império romano, histórica e territorialmente falando.  

Com a Metodologia Maker, os estudantes colocaram a “mão na massa” e produziram seus próprios mapas, explorando o território e as características de alguns lugares dominados pelos romanos como a Judeia, a Gália, o Norte da África e o Egito, tão admirado por eles.

A atividade trabalha com o lúdico e o concreto, características fundamentais. Além disso, possibilitou a discussão em grupos, o compartilhamento de ideias e resultados gráficos surpreendentes que podem ser vistos no Mural do Padlet.