08.03.2021 | Blog

Como se deparar com a transição de segmento escolar

Esse é um momento de grande expectativa para todos, tanto estudantes quanto pais. Nessa fase, o acolhimento, o diálogo e o apoio da escola fazem toda a diferença na vida dos estudantes e de seus responsáveis

A etapa de transição escolar, seja da Educação Infantil para o Ensino Fundamental ou outro segmento escolar, é bem aguardada pelos familiares e pelo próprio estudante.  A transição pode gerar uma expectativa positiva, de crescimento, desejo de conhecer ou, por outro lado, provocar o receio de vivenciar experiências novas no espaço escolar.

No processo de transição de segmento, os profissionais do Colégio e as famílias precisam estreitar os laços de colaboração para proporcionar situações planejadas de adaptação ao novo segmento escolar, pautadas pela certeza de que toda mudança é um sinal de crescimento, que faz parte da natureza humana e se constitui como uma transformação desejada pela criança que se desenvolve de forma saudável, pois conhecer, explorar conhecimentos novos, expressar sentimentos; atuar no ambiente escolar de modo ativo e criativo; experimentar, fazer descobertas inesperadas, dialogar, pensar, interagir com os pares são ações que tornam a aprendizagem significativa e prazerosa.

O acolhimento é a grande marca do Colégio, seja nas relações interpessoais do cotidiano, assim como no cuidado em acolher todas as caraterísticas dos estudantes nos mais diversos segmentos escolares e planejar ações para atender às necessidades de adaptação que proporcionem condições favoráveis para a convivência e aprendizagem.

Além do apoio oferecido pelo colégio e seus profissionais, há algumas iniciativas que a família pode realizar como forma de se preparar para esse momento. Veja quais são elas a seguir.

O papel dos responsáveis na transição de ensino escolar dos filhos

Nos anos iniciais da escolaridade, o estudante precisa – mais do que nunca – do trabalho de parceria entre a escola e os familiares. Por isso, os responsáveis devem estar presentes na transição de Ensino dos estudantes e confiantes de que seus(as) filhos(as) serão capazes de vivenciar as mudanças com serenidade e resiliência para enfrentar os desafios novos, sempre muito especiais e bem vindos! Como é deslumbrante observar o desabrochar das crianças para o mundo que as cerca!

 

Em meio a essas mudanças, pais, mães e responsáveis podem adotar algumas atitudes simples para gerar mais conforto, segurança e tranquilidade na criança, como:

Ritual de despedida

As crianças mais novas quando chegam à Educação Infantil podem desenvolver o hábito de começar a chorar assim que percebem que o responsável se despedirá. Neste momento, recorrer ao truque de “sumir” enquanto a criança está distraída não será aconselhável. Renata Barrozo Moraes, coordenadora pedagógica da Educação Infantil, explica que é importante construir uma relação confiável e honesta com o filho. “Mesmo ainda pequena, a criança precisa ser ensinada que o responsável tem uma rotina a ser cumprida, assim como ela terá dentro da escola, ao lado dos coleguinhas de sala e da professora”, pontua ela.

Será importante que os pais afirmem que retornarão ao Colégio para buscá-lo, assim como acontece quando se reencontram depois de um dia de trabalho do pai ou da mãe, ou quando permanecem com outros responsáveis, pois sempre retornam ao convívio com os pais e para suas moradias.

Reforçar a autonomia da criança 

Trabalhar a autonomia do estudante também é recomendado para ajudar no seu crescimento, amadurecimento e na socialização com os colegas de escola. Dessa forma, ensinar seu filho desde cedo a fazer sozinho algumas atividades contribuem para o seu desenvolvimento.

No caso das crianças menores, que estão chegando à Educação Infantil, alguns exercícios simples para a faixa etária são: guardar os próprios brinquedos, dobrar panos e toalhinhas, guardar calçados e pôr a roupa suja no cesto. Já para crianças que seguem sua trajetória para o Ensino Fundamental, pode ser proposto que limpem o quarto, dobrem roupas, varram ambientes, coloquem a mesa das refeições em família, lavem louças simples e organizem objetos pessoais e de uso escolar.

Claro que você, como responsável, decide a intensidade e a frequência das atividades, além também de estar sempre por perto para orientar a criança em momentos de dúvida – ou para ajudá-la no caso de algum imprevisto.

Dialogar sempre

Manter o diálogo com os filhos também é fundamental para ajudá-los a se sentirem seguros e tranquilos com a nova realidade. Uma rotina básica de conversa para saber como foi na escola, o que mais gostou de ter feito durante o dia e quem são os amigos mais próximos na classe ajuda a criança a se abrir aos poucos, falando sobre o que tem feito nas novas experiências no universo escolar.

O diálogo franco, a troca de ideias e percepções com os profissionais do Colégio também serão as melhores alternativas para a busca de soluções diante dos impasses e dúvidas que acometem a todos os que se comprometem com a educação consciente, voltada para a humanização e a fraternidade. O CONSA acolhe essas situações porque sabemos que as respostas são bem elaboradas quando se constroem na coletividade e em comunidade, por meio da reflexão contínua.