19.08.2021 | Blog

As linguagens da internet podem prejudicar o aprendizado das crianças?

Abreviações, falta de pontuação, gírias e nenhuma preocupação ou compromisso com a escrita formal. Essas são as características da “Net speak”, nome dado à linguagem de internet usada por crianças e adolescentes no Brasil e no mundo. 

Será que essa forma de escrever pode prejudicar a aprendizagem dos jovens? Uma pesquisa não muito recente, divulgada em 2013, e realizada com quase 2500 professores de escolas norte-americanas, concluiu que embora a internet possa estimular a criatividade, ela afeta a escrita dos estudantes. 

Mesmo assim, de forma geral, os estudantes sabem adequar a linguagem para o ambiente escolar. Estudos da Universidade Federal de Juiz de Fora, em Minas Gerais, revelam que pré-adolescentes e adolescentes não usam o “Net speak” na escola. Eles sabem diferenciar onde a norma culta é exigida.

O que fazer nessa situação? 

Hoje, não há como impedir o acesso dos estudantes às tecnologias. Até mesmo porque, neste momento de pandemia e ensino remoto, não há como tirar as crianças e adolescentes de frente das telas. O recomendável é ter atenção especial para que o uso da internet seja saudável e não cause dificuldades na aprendizagem. 

Estimular a leitura 

Para escrever bem é preciso, antes de tudo, estar com a leitura em dia. O conhecido professor Pasquale disse, em entrevista ao Portal Unicamp, que “não é possível escrever um texto acadêmico com a linguagem da internet. É preciso ter um guarda-roupa linguístico amplo. Não dá para achar que com uma roupa apenas eu posso ir a todas as situações”. Por isso, estimular a leitura é sempre o melhor recurso para fortalecer o aprendizado e deixar claro para as crianças que as linguagens de internet são voltadas para aquela realidade virtual e não para o mundo real.

Redes sociais para ressaltar a diferença entre as escritas

Já dissemos, um pouco acima, que não é interessante – e nem possível no mundo atual – afastar as crianças da internet. Nesse caso, usar o mundo virtual para gerar colaboração dos estudantes e deixar bem evidente que o espaço online tem uma linguagem diferente da escrita escolar e formal é um bom caminho. A adoção de um grupo no WhatsApp para a turma de aula ter um lugar onde se pode conversar e fazer uso da “Net speak” reforçaria isso aos estudantes. 

Aproveite para ler também: Como criar um bom ambiente de aprendizagem para seu filho nas aulas à distância?