Ciências na Mídia

O projeto Ciências na Mídia – PCM, vem suprir uma necessidade do cidadão do século XXI que está imerso em um mundo de informações que o atingem como avalanches todos os dias e, em especial, notícias que são oriundas dos meios científicos.

Diferentes tipos de meios de comunicação trazem até a população, não especializada em ciências, informações, dados e notícias que envolvem o desenvolvimento e progresso alcançados diuturnamente pelas áreas das Ciências e suas Tecnologias. São descobertas que influenciam ou pretendem influenciar nossas vidas no que se refere à medicina, à nutrição, à necessidade de praticarmos atividades físicas, à alterações em alimentos para os tornar mais saudáveis, à engenharia, ao uso de diferentes fontes de energia, à desastres ambientais, ao uso sustentável e preservação do solo e das florestas etc.

Como agir depois de ler tanta coisa? O que devemos avaliar? Que perguntas devemos fazer para desenvolver uma leitura crítica daquilo que a mídia nos traz a respeito das Ciências? É para isso que os estudantes de todas as séries do Ensino Médio do Consa desenvolvem trabalhos que avaliam de forma crítica, e com base em argumentação, diferentes fontes de divulgação da ciência.

É uma maneira de trazer aquilo que a Ciência dos cientistas produz nos laboratórios ou campos de pesquisa para dentro da sala de aula e permitir que os estudantes aprimorem suas habilidades referentes ao pensamento e ao letramento científico. Desenvolvem, assim, uma visão crítica a respeito de fatos e notícias que podem estar moldados segundo interesses que nem sempre são aqueles que melhor trariam benefícios à população receptora dessas descobertas.

Ler as mídias e buscar enxergar além da notícia que ela propaga é um exercício que deveria ser praticado por todos nós cidadãos preocupados em compreender o que ocorre à nossa volta.

Esse projeto tem por objetivo insistir nessa prática! Vamos buscar nas reportagens, temas que nos permitam aprofundar os conceitos estudados na área de Ciências da Natureza, além de verificar sua relevância no que se refere às necessidades atuais de melhoria da qualidade de vida e sustentabilidade do planeta.